O que fazer quando o crescimento da sua empresa está parado

No mundo das Startups, o crescer é tudo. As empresas que não têm crescimento constante acabam não sobrevivendo, e ninguém quer isso.

Então, se você é um empreendedor que anseia por crescimento mais rápido, não adianta ter apenas um bom produto e ótima equipe. Caso não tenha um crescimento alimentando tudo isso sua empresa pode acabar não durando muito. De fato, metade de todos os novos negócios fecham suas portas depois de cinco anos. E quanto mais competitiva a indústria, mais importante se torna o crescimento.

Alto crescimento é importante por outro motivo: empresas que crescem têm fluxos de caixa mais rápidos . E esse dinheiro extra leva a mais projetos novos, contratações talentosas e clientes satisfeitos. O crescimento mais rápido é especialmente essencial em indústrias emergentes, onde os negócios que chegam primeiro ao mercado (com bons produtos, é claro) ganham uma vantagem sobre todos que entram tarde.

Quando a empresa fica estagnada, no entanto, seu futuro fica dependente da capacidade do fundador de reiniciar o motor. No entanto, os CEOs não conseguem fazer isso sozinhos. Os líderes mais inteligentes entendem que o crescimento acelera apenas com o estímulo de uma grande equipe.

Siga estas dicas para impulsionar o crescimento de sua própria empresa e construí-la para que ela seja “in” no longo prazo.

1. Coloque a empatia como fator de contratação.

A empatia é um fator primordial para uma equipe de sucesso. De acordo com o índice apresentado na Harvard Business Review, as 10 empresas mais empáticas analisadas aumentaram seu valor mais do que o dobro das empresas de menor porte.

Para os empreendedores, a implicação é que a empatia não é um luxo para se sentir bem: é uma necessidade. Quando as pessoas dentro da empresa compreendem seus colegas em um nível pessoal, são mais capazes de antecipar as necessidades e melhorar a produtividade. Esses processos mais rápidos e inteligentes levam, inevitavelmente, a taxas de crescimento mais altas.

Segundo Sebastian Bryers, CTO e chefe de crescimento da Ora Organic:

“Meus principais membros da equipe foram aqueles que sabiam negociar, entender e revisar sua abordagem na hora. Eles não são necessariamente os melhores engenheiros ou vendedores com melhor desempenho, mas são os melhores em entender o que é necessário para que todas as partes façam as coisas.

A empatia permite-lhes ver a partir de perspectivas externas, avaliar as agendas dos outros e entregar algo que atenda às necessidades de todos.”

2. Tire proveito dos dados de seus clientes.

Os dados são o rei, mas quando o rei fala uma língua diferente dos seus súditos, ele precisa de um bom tradutor.

“Embora as ferramentas recém-desenvolvidas possam tornar a ciência de dados mais simples, elas ainda exigem profissionais treinados para aproveitar esse poder. Agora, qualquer um pode obter dados sobre seus clientes, mas é preciso investir em cientistas que compreendam e saibam traduzir isso para o dia a dia e entregar valor.” Kiril Eremenko, fundador e CEO da SuperDataScience.

Digamos que você tenha uma página de Facebook em sua empresa. É preciso analisar os dados que ela trás e colocar eles no dia a dia. A maioria de seus seguidores é homem ou mulher? Qual sua faixa etária? Como podem ser abordados? Do que gostam de falar e fazer?

As máquinas trazem as respostas, mas é preciso saber fazer as perguntas certas e saber usá-las.

3. Invista em relacionamentos, não em vendas.

As vendas levam a receita e a receita aumenta o crescimento, então você deve vender o tempo todo. Certo?

Errado. O público hoje pode sentir o cheiro de um discurso de vendas a milhares de quilômetros de distância. Os consumidores modernos anseiam por autenticidade e personalização. Eles querem marcas com propósitos, histórias reais e conexão pessoal.

Invista mais tempo no seu atendimento ao cliente e crie uma equipe sólida para o seu negócio.